20 julho 2017

Quantos anos tenho?

 
Como vocês sabem me desafiei a escrever alguma coisa por dia, até o fim do mês, alguns desses escritos irei disponibilizar no blog, e outros não. Quem já está acostumado sabe que minha forma de escrever faz com que tudo se torne muito pessoal, portanto gostaria de deixa claro que algumas coisas que escrevo acontecem comigo, mas a maioria não, gosto de aclarar isto, pois não sei se lembram da época em que eu estava escrevendo o livro da Kamily Anne, ao postar trechos dele no facebook, meus pais me proibiram de usar a rede social por achar que eu estava usando-a para difamá-los hahahaha. O livro da Kamily fala sobre a vida de uma menina cuja mãe é uma garota de programa e que o pai ela não sabe quem é.... Aaushuash, se eu animar um dia libero os capítulos dele que tenho escritos para que leiam... Mas enfim, vamos ao escrito de hoje!

    De um tempo pra cá, sempre que por algum motivo eu preciso falar ou escrever minha idade, sinto um certo estranhamento. Sempre me vem a cabeça aquela música  (Eu que não amo você) dos Engenheiros do Hawaii onde eles falam "envelheci dez anos ou mais, nesse último mês".
  Não sei, sinto como se tivesse amadurecido além da conta, não vejo mais graça em coisas que antes me faziam rir por horas, a realidade bateu tão forte de frente com tudo aquilo que idealizei, que de dez sonhos que eu tinha, me restaram dois, ou três.
   Em alguns momentos vejo vantagens, pois agora ao contrário de antigamente, consigo aproveitar bem mais a solitude, mas com isso também vem a intolerância, pois por não ver mais sentido em certas coisas, não me submeto mais a certas convivências, o que faz com que muitas pessoas se afastem.
    Mas não tenho culpa, e não vou me sentir culpada, pois a vida é assim, o tempo passa para todos, alguns mudam com ele e outros permanecem estáticos, e ficar estática nunca foi uma de minhas opções, então eu mudei. Há quem diga que eu fiquei amarga, mas a vida não tem se mostrado doce, e é difícil balancear o sabor de algo que tem mais sal que açúcar.
    Com esta súbita maturidade aprendi que não há mal nenhum em não ser aquilo que esperam que você seja, desde que você esteja bem consigo e com Ele.
    Eu poderia ficar aqui por horas falando sobre como tudo tem mudado, mas não vejo sentido nisso também, só queria deixar registrado que dos 22 anos pulei para os 32, e olha, a crise dos trinta anos não é tão ruim como dizem.
    Quando eu chegar lá de verdade, estarei preparada!!


2 comentários:

  1. Amei... Estou com 18, mas me sinto com 35... Amo essa música dos Engenheiros 😍
    Ótimo post!! Ameei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiiiiinnn amiga, você por aqui?
      Que honra!!
      Fico feliz que tenha gostado do post, também adoro muito essa música!

      Excluir

*Deixe sua opinião, ela é super importante para mim!

Beijos, e obrigada!